Canada Editorials Education Matters Ontario Portuguese

Bem-vindo ao país das maravilhas de Lecce

TORONTO – Os aliados do ministro Lecce no conselho escolar estão a cair como moscas, ou assim parece. Na quinta-feira passada, os conselheiros do (TCDSB) Conselho Escolar Católico do Distrito de Toronto, foram obrigados a distanciar-se da agenda de direitos humanos de Lecce e pedir-lhe que os tirassem da areia movediça dos problemas relacionados à Covid quanto ao pessoal, ao tamanho das turmas e problemas de saúde. 

Eles enviaram-lhe uma carta educada e crítica, pedindo mais dinheiro ($42 milhões de acordo com a nossa estimativa).

Na terça-feira à noite, o Conselho Escolar Católico do Distrito de Halton (HCDSB) realizou uma sessão da comissão de políticas públicas, desta vez  provavelmente para abordar as alegações públicas de fraude apresentadas contra um dos supostos agentes de Lecce no Conselho, a conselheira Nancy Guzzo (que não respondeu às chamadas telefónicas ou aos emails do Corriere). 

A Hamilton Police Services confirmou ao nosso repórter/investigador P.Pajdo, que “Nancy Guzzo foi acusada em 21 de Janeiro de 2021, por 10 acusações de fraude inferiores a $5.000 e 2 acusações de fraude superiores a $5.000.

Ela e/ou o seu advogado já compareceram perante o tribunal em seis ocasiões, a última em 5 de Outubro.

A sua próxima audiência no tribunal está marcada para 16 de Novembro de 2021.

As denúncias remontam a 2017. Antes e durante o último período eleitoral municipal, ela não revelou que estava “sob uma nuvem de suspeitas” nesse tempo.

Nem abordou esse problema, com os seus colegas desde então.

Os tribunais resolverão o problema da culpa ou inocência.

Hoje a preocupação do público é a transparência.

O que se deve esperar do (HCDSB) ou de qualquer outro Conselho além da transparência?

A coisa honrosa a fazer, seria retirar-se temporariamente, enquanto o assunto corre nos tribunais.

Nas últimas eleições federais, exerceram pressão, que ainda continua, para que Kevin Vuong se retirasse e renunciasse, por não ter declarado que tinham sido retiradas as acusações por agressão sexual que lhe foram imputadas dois anos antes.

No caso de Guzzo, as acusações de fraude foram apresentadas pelo seu antigo empregador, Labourer’s International Union of America (LIUNA) local 3000.

A LIUNA está envolvida em questões relacionadas com pensões, atribuição de empreitadas e esquemas relacionados com trabalhadores indocumentados.

Reivindica o apoio a ministros federais como Ahmed Hussen e provinciais como Tibullo e Lecce.

Lecce não conseguiu ou não quer enfrentar a realidade de como manter as escolas abertas.

Quinta-feira, conforme relatado nas páginas do Corriere Canadese e noutros meios, as táticas absurdas de Lecce foram expostas mais uma vez, quando o Silverthorne Collegiate do (TDSB), se tornou na primeira escola a fechar as suas portas para os alunos e funcionários por causa do contágio do Covid.

Lecce estava ocupado, gabando-se de como seus constituintes (parceiros de negócios dos seus apoiantes), estavam a construir outro Centro de Assistência a Longo Prazo.

Pode ser esta a hora de homens e mulheres de coragem e ética mostrarem a sua verticalidade.

No (HCDSB), o presidente e o diretor deve prevalecer sobre o conselheiro Guzzo, para fazer algo no seu próprio interesse e no melhor interesse do Conselho: recuar e deixar o processo legal seguir o seu curso.

(texto de Corriere Canadese traduzido por Carlos Lima)

Leave a Reply


cnmng.ca ***This project is made possible in part thanks to the financial support of Canadian Heritage;
and Corriere.ca

“The content of this project represents the opinions of the authors and does not necessarily represent the policies or the views of the Department of Heritage or of the Government of Canada”